domingo, 12 de novembro de 2017

Luan Santana - Escreve aí - (Vídeo Oficial) - "DVD Luan Santana Acústico"

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Sam Smith - Too Good At Goodbyes (Tradução) [Live BBC]

E quanto mais você me machuca, menos eu choro
E a cada vez que você me deixa, mais rápido estas lágrimas secam...

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

domingo, 16 de abril de 2017

quinta-feira, 13 de abril de 2017

terça-feira, 11 de abril de 2017

domingo, 26 de março de 2017

Cansei de me sentir sozinha. Cansei dos dias iguais, da rotina. Cansei de mim e de me deixar sempre em última opção. Cansei de procurar meus amigos. Cansei de mentir pra mim, pra ver se dói menos. Cansei de me preocupar com quem não se preocupa comigo. Cansei de sofrer e de acordar indisposta, cansei de sentir o coração bater mais forte, com uma sensação de arrependimento, de erro. Cansei de tudo.
Clarice Lispector

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

DOR IMENSURÁVEL

Como Passar pelo luto, pela perda de um Filho apenas sonhado e imaginado?

Como aceitar e conviver com o fato de que não em tornarei mãe? Como suportar esses olhares de "pena"?
Como responder as perguntar sobre " quando você irá ter filhos"?
Minha ferida dói tanto! Será que um dia vou conseguir conviver com essa dor de maneira tranquila, sem me afetar tanto?
Na maior parte do tempo eu consigo, estou sempre descontraída, raramente falo sobre o assunto, procuro sempre brincar com todos que me cercam.
Mas vira e mexe, acontece algo que me tira o chão.
Então penso em Deus, converso com Ele, tento aceitar a vontade Dele para minha vida. 
De que foi melhor assim, faço de tudo para não me permitir cair no "inferno" novamente, na depressão, desesperança e na falta de motivação para viver. 
Afinal de contas, esse era um dos meus maiores sonhos poxa. 
Sou loucamente apaixonada pelos meus sobrinhos. Sempre sonhei em ser mãe. 
Conviver com a frustração e a limitação é uma luta diária. 
Somos naturalmente obstinados a achar que estamos aqui por um motivo somos especiais e destinados a grandes feitos.
Até que um dia a realidade te lembra que você é apenas um humano, que nem todos os seus sonhos se realizarão, que algo que é natural para 90% das pessoas  é impossível para você.
Não sou negativa, talvez um pouco depressiva. Mas, estou reaprendendo a viver.
Já sofri muitas perdas e dores incrivelmente fortes.
Mas confesso, que nada se compara a essa dor.
Sofri, mas sobrevivi, acreditando que era algo que fazia parte da minha história e que o natural era seguir em frente.
Ainda sigo em frente, mas tem horas... 
Ainda me sinto uma ET num mundo cheio de mães.
As amigas engravidam, os encontros começam a ser em aniversários de crianças, algumas amigas te olham com cara de piedade ou superioridade ( depende da amiga ), quando te encontram.
Outras além de olhar com cara fechada, nem te convidam ou te querem por perto, porque acham que você vai jogar algum vudu na barriga de grávida dela ou no bebê.
Tem alguém em minha família age constantemente assim, diz para os outros que eu tenho ciúmes, inveja. 
Então os boatos em família me fazem lembrar todos os dias que não posso ser mãe.
É duro ouvir esse tipo de coisa. 
Jamais desejaria mal a uma dádiva, uma benção do céu deste gênero. 
Então me controlo para não dizer nada, para não ser amarga, para não cair, para não ouvir a voz que diz la fundo: desiste de tudo.
E repito para mim mesma... um dia de cada vez...
Um dia de cada vez...

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017