segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Saudade Eterna

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Poxa mãe, que saudade devastadora e surreal estou sentindo da senhora.
Não tive a chance de te ver, te tocar e compartilhar pessoalmente todas as bênçãos que desfrutei nesses dois anos que ficamos distantes.
Cheguei tarde demais. Infelizmente me deparei com a cena que pensei não ver tão cedo.
A casa está triste sem a sua presença, suas brincadeiras, suas artes e gargalhadas.
Essa dor e essa saudade nunca passarão.
Queria que estivesse aqui... Deitar no teu colo e receber aruruuu.
Triste!