quarta-feira, 26 de junho de 2013

ROMEU - Quisera ser teu passarinho.
 
JULIETA - O mesmo, querido, eu desejara; mas de tanto te acariciar, podia, até, matar-te.
Adeus;calca-me a dor com tanto afã, que boa-noite eu diria até amanhã.
 
ROMEU - Que aos teus olhos o sono baixe e ao peito. Fosse eu o sono e dormisse desse jeito! 
Vou procurar meu pai espiritual, para um conselho lhe pedir leal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário