sábado, 10 de setembro de 2011



Você pode me julgar se quiser, mesmo eu não te dando esse direito...
Eu sou o que sou, pelo que me ensinaram, pelo que me ensinei,

Pelo que me fizeram, pelo que eu aceitei,


Sou a única responsável pela beleza e pelas tristezas de minha vida,


Tenho feridas abertas no peito que me deram o direito de ser o que eu me transformei...


Sou alegre, sou triste, posso ser o melhor que existe só depende de como você me vê,


Não peço nada a ninguém, não tenho certeza de quem me quer bem para de tal maneira me arriscar, ando por mim, pois só assim sei que posso acertar!


Não desejo nem o bem nem o mal, simplesmente vivo a minha vida esquecendo das vidas que me fizeram mal.


Posso ser uma boa amiga se você quiser, basta me dar um sorriso sincero, que logo me entrego a amizade sem pudor!


Mas não espere que eu faça questão de conquistá-la entre a cruz e a espada eu fico com a dor.


Não que eu seja dura, mais nessa vida obscura é que se aprende dar valor a claridade de ser quem se é.


Não quero nada de ninguém faço por mim, não me decepciono mais com os erros dos outros, tenho tantos que só tenho tempo para os meus.


Não te faria mal nem que o fizesse a mim, não desperdiço o meu tempo com quem não entende meu latim.


Posso ser insana, louca e imoral, mais dentro de mim, sou tudo isso pra mim e nunca te fiz nenhum mal, então não se preocupe comigo, pode me julgar se quiser ou se puder...


O meu intimo me diz quem sou, eu posso ser pior que você, igual a ele e melhor que os dois...Que parâmetros usamos para falar da vida de alguém??? Alguém conhece um outro alguém perfeito para ser padronizado??? Já que não é perfeito que cada um seja do seu jeito, e que ignore o que não for...

Somos livres e democráticos embora ingratos por tudo que se passou...


Seja do seu jeito você tem o direito, de ignorar o sujeito que te criticou...


Eu faço por mim e prefiro assim, pois não sinto tanta dor.


Não espero que goste de mim, mas se gostar pode vir que te mostro quem realmente sou!

Nenhum comentário:

Postar um comentário