quinta-feira, 2 de junho de 2011

Amores Incertos



Amantes certos
Amores incertos
Vidas desviadas pelo destino
Almas enlaçadas por dom divino
Que culpa têm se ainda sentem amor?
Que culpa têm se já não importa o pudor?
Os anos passam e a chama incendeia
As almas daqueles que do amor se sentem presas.
Vontade impedida por matrimônios,
Liberdade suprimida por outros temores.
Quem me dera um dia poder ter
A coragem que um dia me fez ser
A mulher mais feliz de um conselho,
Correr, brincar e amar sem preconceito!
Tão logo esse dia chegue
Estarei impaciente a esperar
Matarei a saudade dele
E em seu colo poderei deitar
Fecharei meus olhos e suspirarei
Foram os anos mais solitários que já passei.

Rafaela Pessoa

Nenhum comentário:

Postar um comentário